DO AMERICANO PARA A SELEÇÃO

Pesquisa cita três alvinegros convocados como atletas do clube; também há vários revelados aqui que vestiram a amarelinha

DO AMERICANO PARA A SELEÇÃO

O historiador Michael Serra, um dos principais nomes do momento em história do futebol brasileiro, publicou neste domingo, dia 17 de maio, em suas redes sociais uma pesquisa que está finalizando sobre convocações para a Seleção Brasileira. E, por ordem alfabética, mostra o Americano no sétimo posto com três jogadores convocados para o selecionado nacional em mais de um século de história.

Nas décadas de 1920 e 1930, Poly, Soda e Mario Seixas chegaram à Seleção, inclusive com Poly disputando a Copa do Mundo de 1930, sendo até hoje o único a ser convocado para um Mundial estando em um clube de Campos.

Aproveitando esta pesquisa do Michael Serra, pesquisadores da história do Americano, como Fabiano Artiles, lembraram de outros jogadores, revelados pelo Alvinegro, que também vestiram a amarelinha.

Em 1954, Pinheiro foi outro campista a disputar uma Copa do Mundo, já como jogador do Fluminense. Mais tarde, no final dos anos 1980 os goleiros Acacio e Zé Carlos não rivalizavam apenas por Vasco e Flamengo, mas também por uma vaga como reserva de Taffarel. No fim, ambos foram convocados para a Copa da Itália, em 1990.

Depois vieram Célio Silva, Odvan e Léo, que além das convocações, conquistaram títulos nos anos de 1990 e 2000. Por último, quem vinha sendo constantemente convocado por Dunga e Tite era o zagueiro Gil, este ainda em atividade no futebol brasileiro.

Com essa vasta de história nas categorias de base, o novo presidente do Americano, Vagner Xavier, pretende valorizar ainda mais os jovens alvinegros nestes próximos três anos. “Não só nossa cidade, mas como toda região Norte Fluminense sempre foram um celeiro de craques. Precisamos resgatar as peneiras para que possamos no futuro ter outros jogadores na Seleção Brasileira, que vestiram a camisa do Americano”, disse o dirigente ao site oficial do clube.